Como entender a conta de luz: guia completo e simplificado

Como entender a conta de luz: guia completo e simplificado

O pagamento da conta de luz é o responsável por nos manter com energia elétrica, e durante o dia a dia, pode ser que não nos importamos tanto com as outras informações que estão impressas na conta, mas são tão importantes quanto o valor a pagar e a data de vencimento, um vez que a própria distribuidora possui outras informações a mostrar.

Para que você consiga ler e entender a sua conta de luz, nós da Henrilustres preparamos este conteúdo para te explicar o essencial de uma conta de luz. Essas informações são necessárias, principalmente, porque no Brasil a conta de luz é uma das mais caras do mundo.

Como funciona a conta de luz?

lâmpada acesa em cima de carteira preta

A conta de luz é um comprovante sobre a quantidade de energia que você gastou e todas as informações sobre a concessionária e o serviço que a empresa presta para disponibilizar energia até sua casa mensalmente estão dispostos nela. Cada informação é importante e algumas dicas ajudam até a economizar energia de maneira simples e prática.

É importante ressaltar que existem diversas distribuidoras de energia no Brasil, o que muda algumas características das contas de luz ao redor do país, além disso, os impostos de cada estado diferem, tudo isso somado com o valor monetário determinado pela Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL, em R$/MWh ou em R$/kW.

A Resolução Normativa n° 414/2010 determina que algumas informações devam estar nas faturas de energia de todo o Brasil, mesmo que em ordens diferentes.

  • Código de identificação: número da Unidade Consumidora ou de instalação;
  • Data de emissão: ano e mês de referência do consumo de energia;
  • Vencimento da conta: data com o limite de pagamento sem multas;
  • Dados do clientes: Nome do consumidor ou empresa, endereço, unidade consumidora, dados do medidor, o comprovante de residência e classificação do tipo de ligação;
  • Número da nota fiscal, número do cliente e ICMS, alíquota e base de cálculo;
  • Medidor com os dados de leitura anteriores, atual e a previsão da próxima leitura;
  • Valor total da conta de luz: nesse campo está o valor geral, sendo o da conta de luz e também de taifas, parcelamentos de dívidas feitos por você e doações;
  • Histórico de consumo: consumo de energia dos últimos 13 meses;
  • TUSD: tarifas e valores cobrados;
  • Bandeiras tarifais: verde, amarela ou vermelha;
  • Notificações: Avisos e serviços que cobram alguma taxa;
  • Dados de instalação;
  • Dados de qualidade da empresa fornecedora.

Essas informações precisam estar em todas as contas de luz do Brasil. Mas além delas, outras características facilitam sua leitura da conta de luz.

Analisando a conta de luz

varal de luzes com céu ao fundo

Apesar dessas informações parecerem complexas, basta entender alguns conceitos e você saberá o que acontece com sua energia elétrica, e como sua conta de luz retrata isso.

Tributos e encargos

Os tributos federais, estaduais e municipais estão entre os responsáveis por fazer a conta de luz ficar com preços altos, pois os bens, serviços e produtos adquiridos geram tributos que precisam ser pagos na conta mensalmente. E cada um deles tem suas divisões:

Tributos federais

Os tributos federais são do PIS – Programas de Integração Social e o Cofins – Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social.

Tributos estaduais

Os tributos estaduais são do ICMS – Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços

Tributos municipais

Custeio do Serviço de Iluminação Pública – CIP

Encargos setoriais

Os encargos reúnem cerca de 9% do valor da energia, isso porque as políticas do Governo Federal soma as implantações e desenvolvimento do setor elétrico dividindo nas contas de luz o valor gasto.

Tarifas

Para garantir que a energia elétrica chegue em todas as residências com qualidade, as tarifas são cobradas e separadas entre o grupo A e o Grupo B.

Grupo A

No grupo A ficam as residências e estabelecimentos que gastam mais de 2,3kV, ou seja, os grandes consumidores do setor elétrico.

Grupo B

Esse grupo reúne os consumidores de baixa tensão, gastando menos de 2,3kV. Isso significa que esse grupo é composto pela classe residencial e classe rural e até a iluminação pública.

Bandeiras tarifárias

As bandeiras tarifárias comunicam o consumidor sobre todos os gastos e custos da geração de energia, foram criadas por meio da Resolução Normativa nº 547 da ANELL, em 2013 e estabelecida em 2015. Existem 3 bandeiras conectadas ao Sistema Interligado Nacional, que compõem essas tarifas, a bandeira verde, amarela e vermelha, e também acabam auxiliando na economia de energia.

  • Bandeira verde: a conta de luz quando chega com a bandeira verde significa que não haverão acréscimos no valor, isso porque as condições de energia estão equilibradas;
  • Bandeira amarela: acontece um acréscimo de R$1,874 POR 100 Kilowatt-hora (KwH) consumido, e isso se dá pelas condições da geração de energia não estarem favoráveis;
  • Bandeira vermelha: o acréscimo acontece em duas divisões, a geração de energia é mais cara, por isso o valor adicional se torna proporcional ao consumo, e isso leva R$3,971 por 100kWh consumido, enquanto no segundo patamar é R$ 9,492 POR 100kWh
  • Quando a bandeira passa da amarela, o consumidor pode se atentar mais para economizar e usar menos aparelhos para não receber tarifas tão altas, esse fator ajuda a usar menos, porém, é sempre importante estar analisando em qual bandeira está.

Por mais que alguns valores aumentem mesmo quando economizamos energia, é importante sempre analisar sua conta de luz para não perder nenhum valor e acompanhar o que está acontecendo, assim você poderá usar a quantidade adequada nos momentos que as tarifas sobem. Aproveite também para conferir como calcular a iluminação do LED e tenha ainda mais conhecimento sobre iluminação e economia!

Deixe um Comentário