Decoração minimalista: 5 dicas para a otimização de ambientes

Decoração minimalista: 5 dicas para a otimização de ambientes

Não é segredo para ninguém que o minimalismo tem ganhado milhões de adeptos no mundo todo. Cada vez mais as pessoas têm se enveredado por construções estéticas mais simplistas que transpassam somente e exclusivamente o essencial.

Esqueça os artigos repletos de detalhes e informações. Quando falamos em decoração minimalista, falamos da simplicidade das formas e da monocromia que reveste os artigos decorativos.

Não há espaço para o excesso no minimalismo! O acessório dá lugar ao essencial e, portanto, ao indispensável. Os móveis que revestem os ambientes se coadunam de tal forma a criarem estéticas limpas e visualmente mais fáceis de serem lidas.

Poucos artigos decorativos se dispõem sobre os ambientes, afinal, a decoração deixa de ser um elemento a mais na composição do espaço, para ser o elemento da composição espacial.

Ficou curioso? Continue com a gente, porque a missão da Henrilustres de hoje é te explicar de maneira simples o estilo minimalista na decoração de ambientes.

Afinal, o que é esse tal de minimalismo

Como o próprio nome sugere, o minimalismo é um estilo com bases no mínimo, mas não devemos entender o mínimo como pouco, mas antes como o essencial.

Se voltarmos às origens do movimento, nos deparamos com a multiplicidade de movimentos artísticos sociocientíficos do século XX. Nas bases do movimento minimalista, elementos primordiais e indispensáveis se faziam pilastras de toda e qualquer composição.

Ora, é só nos voltarmos para as artes plásticas e reviver o expressionismo abstrato em que composições ousadas eram feitas a partir da mistura de elementos geométricos aleatórios e automáticos. O minimalismo, então, emerge como um contramovimento, como

um respiro a aliviar as obras das sobreposições de pigmentos do expressionismo.

A redução das formas e o atrito entre a escassez de produção em larga escala carimbaram o minimalismo como uma nova percepção do mundo em traços simples. Podemos ver maior expressividade das obras minimalistas nas produções luminosas fluorescentes de Dan Flavin.

O estilo minimalista surge mais precisamente na década de 80 em contraponto à justaposição de formas e cromias, resultando assim em poucos elementos formais e no uso de cores mais sóbrias e neutras, no limite, na ausência de cores.

 

Mas, nas origens do estilo, o design minimalista estava mais alinhado com a adequação formal dos projetos do que propriamente às suas funcionalidades. Enquanto o funcionalismo alemão buscava trazer a luz, clareza e ergonomia aos objetos, o estilo minimalista se restringia aos Yuppies, aos profissionais urbanos com um ótimo poder aquisitivo que utilizavam da forma minimalista para expor o seu status quo.

Atualmente, o minimalismo ganhou outra roupagem. Embora conserve a característica de diminuição formal, traz ainda uma preocupação com a funcionalidade dos objetos.

Assim, a simplicidade é requisitada enquanto uma forma de trazer à luz o valor de cada artigo decorativo adquirido, na medida em que não só vem proporcionar maior conforto, mas, também, pelo seu valor de uso.

Não à toa, quando adotamos o estilo de vida minimalista no dia a dia, somos mais inclinados a nos perguntar sobre a real importância dos objetos que consumimos, o que nos leva a reduzir a quantidade de objetos que acumulamos, ao destituí-los de um valor prático.

As prioridades passam a ser outras – como esse objeto pode me servir ao invés de como eu posso servir a esse objeto.

Como adotar o estilo de decoração minimalista

Bem, agora que você já compreendeu as verdadeiras bases e propósitos do minimalismo, talvez esteja pensando em adotá-lo como um estilo de vida. Que tal começar pela decoração de sua residência?!

Com os móveis e artigos luminotécnicos minimalistas, você pode dar o pontapé inicial para a assimilação desse estilo. Então, deixe-nos te ajudar nessa empreitada, seguem as dicas Henrilustres.

1. Luminárias minimalistas

A começar pelos projetos luminotécnicos, o uso de luminárias minimalistas confere aos ambientes uma pegada mais limpa e simples, mas extremamente funcional.

Isso se deve ao fato de que as luminárias de LED mais modernas apresentarem um design minimalista, visto que o que se mostra aos nossos olhos são apenas pontos de luz e/ou o corpo do objeto em poucos traços, enquanto a engenharia para a dissipação de calor fica atrás do produto.

O interessante é que hoje já existem no mercado diversos modelos de luminárias minimalistas, das mais compactas às mais arrojadas, mas que mantém ainda a pequenez geométrica e a monocromia, sendo encontradas, por vezes, na cor do material cru, seja em alumínio ou cobre.

Apostar em luminárias de mesa para iluminar o seu cantinho de leitura ou de trabalho é uma ótima opção. E aqui, talvez as luminárias que mais se aproximam do estilo minimalista são as industriais, devido às formas limpas, redução de detalhes e cores neutras. Vale a pena a aquisição!

2. Cores mais sóbrias e fechadas

Uma característica muito própria da decoração minimalista está no uso de cores mais sóbrias e fechadas na pintura das paredes dos ambientes. Em geral, o branco é a cor que mais se destaca, uma vez que permite a construção de recintos mais claros e traz um ar mais clean ao ambiente.

Além disso, cores mais neutras, como o bege e o cinza, criam a sensação de maior espaço e são fáceis de combinar com os demais móveis do recinto, proporcionando organizações mais facilitadas e funcionais, tão caras ao estilo minimalista.

Se está pensando em pintar as paredes de um determinado cômodo com cores mais claras, aposte em móveis com cores mais fechadas, mas evite o exagero com a transposição de cores. No minimalismo, quanto mais monocromia melhor!

3. Móveis mais compactos e multifuncionais

Quando passamos para os móveis, percebemos que a estética minimalista busca dispor de artigos mais compactos e evitar o exagero formal.

Nesse sentido, guarda-roupas cápsulas são mais recomendados, visto que estão melhor alinhados com um estilo de vida em que poucas peças de roupas são capazes de compor diversos looks para todas as ocasiões da vida.

Além disso, é requerido que os móveis sejam multifuncionais, servindo para diversos fins. Em um quarto, um guarda-roupa, por exemplo, pode servir para guardar sapatos e até mesmo cosméticos e acessórios.

Uma cama pode contar com um baú ou gavetas embutidas para guardar livros ou até mesmo roupas de cama. O sofá da sala pode ser um sofá-cama para receber as visitas sem que mais um quarto seja necessário.

Outro ponto digno de nota está no fato dos móveis minimalistas serem feitos em traços bem simples, sem muitos detalhes. As mesas de jantar, por exemplo, são bem prototípicas com pés metálicos e tampo de madeira.

Camas tubulares também são ótimas opções de móveis minimalistas. Agora estantes em madeira crua com pés de metal são ótimos suportes de livros e artigos decorativos para a sala de estar.

O crucial mesmo é otimizar o espaço com objetos que realmente possuem funcionalidade para o dia a dia.

4. Suportes rústicos em madeira

No minimalismo, uma forma de otimizar o espaço residencial é apostando em nichos de madeira. Seja em MDF ou em madeira pinus, nichos são ótimos suportes e servem para diversas funcionalidades.

Pode-se usar um nicho rústico em madeira no escritório para dar suporte para os livros, na sala de estar para dispor vasos e porta-retratos e até nos banheiros para dar segurança aos cosméticos, aqui só vale a ressalva de passar um impermeabilizante para assegurar a durabilidade da madeira.

5. Plantas em paredes ou suspensas

Que todo minimalista possui uma plantinha em casa isso é fato. Talvez porque as plantas são elementos primitivos, mas altamente essenciais para a oxigenação de ambientes.

Apostar em algumas plantas como parte da sua decoração é uma forma eficiente de trazer para o ambiente maior frescor e tranquilidade. E aqui não há muita regra, você pode dispô-las nas paredes em forma de jardim vertical ou painel verde, assim, consegue aproveitar melhor o espaço térreo com os móveis.

Uma outra forma de complementar a sua decoração minimalista é através da suspensão dos vasos, como se fossem pendentes, criando, assim, uma estética biofílica. Além de propiciar maior bem estar àqueles que transitam pelo espaço, você casa o minimalismo com a sustentabilidade, fazendo dele um estilo de vida consciente.

Prontinho! Chegamos ao final de mais um post, gostou das nossas dicas de decoração? Que tal levá-las para o seu lar? Garantimos que aderir à decoração minimalista pode trazer a você possibilidades estéticas primorosas.

Se este post foi útil para você, compartilhe-o em suas redes sociais com os seus amigos, assim tocamos mais pessoas com dicas inspiracionais.

Até a próxima!

Deixe um Comentário