Descarte de lâmpadas: saiba como fazer corretamente

Descarte de lâmpadas: saiba como fazer corretamente

Menos de 5% das lâmpadas são recicladas no Brasil. No entanto, 95% dos componentes de uma lâmpada podem ser reciclados.

Fazer o descarte correto de lâmpadas é um papel de todos nós. Afinal, é a vida de nosso planeta que segue em risco. Isso se deve ao fato de que, embora práticas, econômicas, resistentes e recicláveis, nas lâmpadas fluorescentes, 5% dos componentes são extremamente tóxicos para a vida humana.

Dentro das lâmpadas fluorescentes temos um componente extremamente nocivo conhecido como mercúrio, que além de ser um metal pesado é extremamente danoso à nossa saúde.

E aí que entra o grande problema: dado o alto grau de toxidade do mercúrio, lâmpadas fluorescentes não podem ser descartadas em qualquer lugar, exigindo mais atenção ao descarte.

Pensando nisso, no post de hoje vamos conversar um pouquinho a respeito do descarte de lâmpadas. Assim você fica bem informado em como reciclá-las com proteção e segurança.

Lâmpadas fluorescentes são tóxicas?

 

A palavra fluorescência está intimamente ligada ao conceito de luminescência, ou seja, a geração de luz sem a emissão de calor. Essa emissão de calor pode se dar por meio de elétrons e reações químicas, por exemplo.

As lâmpadas fluorescentes operam a partir de ionização de argônio e mercúrio. Mas, como se não bastasse, a constituição das lâmpadas ainda conta com o chumbo, um metal muito nocivo.

Mas, afinal, qual é o grande perigo do mercúrio?

lâmpada com desenho de árvore dentro dela

Bem, a intoxicação por mercúrio pode causar graves problemas à nossas saúde, a começar pelo fato de que, quando inalado, pode gerar doenças neurológicas, bem como Minamata e Acrodinia.

Mas nem sempre o contato com o mercúrio é tão direto assim. Quando as lâmpadas fluorescentes são descartadas incorretamente, podem chegar aos corpos de rios, nos quais se volatizam em chuva tóxica. Você já deve ter ouvido falar nas aulas de geografia sobre as chuvas ácidas ocasionadas pela poluição ambiental, certo?!

Além disso, quando o mercúrio entra em contato com os lençóis freáticos, é muito comum que seja ingerido por algumas espécies de peixes que são consumidas por nós, causando a intoxicação.

E não pense você que após o descarte indevido das lâmpadas fluorescentes este mercúrio tardará a ser liberado. Em verdade, leva poucas semanas para que a substância comece a incidir de maneira tóxica no meio ambiente.

Cuidados ao se descartar as lâmpadas fluorescentes

lâmpada com símbolo de reciclagem verde sobre ela

Agora que você já entendeu quais são os grandes malefícios do mercúrio e a importância do descarte correto das lâmpadas fluorescentes, passemos para os principais cuidados que devemos ter no momento de se desfazer dessas lâmpadas.

Em linhas gerais, embrulhar a lâmpada em papel jornal e levá-la até o ponto de coleta é a forma mais eficaz de reciclar as lâmpadas fluorescentes. No entanto, sabemos que algumas dificuldades podem se dar no processo, como a quebra do objeto. Nesses casos, vejamos alguns cuidados a se ter a seguir:

  • O primeiro passo a se tomar é manter o local ventilado. Portanto, abra as janelas para que o ar possa circular e evite inalar a poeira liberada. Lembre-se que uma das formas de intoxicação por mercúrio se dá através da inalação.
  • Saia do ambiente e deixe o ar circulando por cerca de 10 min enquanto você informa a quebra da lâmpada aos familiares, para que os mesmos não corram o risco de adentrar o recinto.
  • Se tiver luvas e uma máscara, utilize-as para recolher os cacos com maior proteção. No entanto, em casos de não disposição dos materiais, utilize algumas folhas de jornais para recolher os cacos grandes.
  • O pó solto pela lâmpada pode ser removido com uma folha de jornal ou pano úmido.
  • Após reunir todos os cacos e vedá-los no jornal, leve-os em pontos de coleta mais próximos de sua casa, geralmente, supermercados.

Adeus, lâmpadas fluorescentes! Bem-vindas, lâmpadas de LED

varal de lâmpada de led em parede de tijolos laranja

Como já percebemos, as lâmpadas fluorescentes podem poluir o lençol freático, gerando problemas irreversíveis á saúde dos seres vivos. Por isso, estima-se que as lâmpadas fluorescentes serão erradicadas até 2030, dando lugar às lâmpadas de LED.

As lâmpadas de LED possuem muitas vantagens quando comparadas às lâmpadas fluorescentes. A começar pela durabilidade: este tipo de lâmpada tem uma vida útil estimada em 50.000 horas, já as tradicionais tendem a durar em média 7.000 horas.

Quando falamos em economia, as lâmpadas de LED perfilam como as melhores lâmpadas do mercado, uma vez que propiciam uma economia de 80% na conta de luz, isto porque o diodo propicia grande luminosidade com menos uso de energia.

Agora, o grande ponto positivo das lâmpadas de LED é que elas podem ser recicladas e não possuem componentes tóxicos, logo, não causam impactos no meio ambiente.

Mas isso não quer dizer que você deve descartá-las em qualquer lugar. Muito pelo contrário! As recicladoras já estão armazenando as lâmpadas de LED para serem recicladas em um futuro breve.

E sabe como você pode descartá-las? Basta levá-las até a loja onde você comprou. Embutido no preço está o ecovalor, uma pequena taxa para que a loja dê o destino correto ao objeto ao fim de sua vida útil. Viu como é fácil?!

Agora sim você já pode fazer o descarte de sua lâmpada de forma prática e segura, assegurando a qualidade de vida de todos nós e do meio ambiente.

Para ficar por dentro sobre dicas de iluminação e decor, acompanhe as nossas publicações semanais aqui no blog. Aqui você sempre é apresentado para um vasto universo de conforto e qualidade luminotécnica.

Até a próxima!

Deixe um Comentário