O estilo industrial e sua estética: saiba mais!

O estilo industrial e sua estética: saiba mais!

O último século trouxe uma série de conceitos decorativos disruptivos e originais; desde os movimentos mais futuristas até o desconstrucionismo pós-moderno e o Do it Yourself. Cada tendência criou uma série de verdadeiras escolas de decoração, que continuam a ser estudadas, discutidas e aprimoradas até os dias de hoje, sempre atualizadas e vibrantes. O estilo industrial é um dos mais intrigantes e conceituais, que é aconchegante ao mesmo tempo que arrojado.

Os princípios do estilo industrial

Depois de séculos de tradições decorativas cada vez mais exuberantes, que chegavam ao ponto de esvaziar o conceito da decoração, criando pastiches de outras épocas passadas, as vanguardas começaram a efervescer em todos os lugares e tipos de arte.

Restaurante com decoração industrial no teto, com luminárias e tubulações evidentes

E logo a decoração, com o boom urbano, o evento das guerras e tantas mudanças tecnológicas no curso da história, não tardou para que estilos disruptivos nascessem para como forma de expressão e renovação estética.

O estilo industrial pode ser datado de polos diferentes; na Europa, o fim da Segunda Guerra Mundial, a expansão massiva do modelo soviético de urbanismo e a reconstrução da da porção continental sobre os escombros dos conflitos deu luz a construções mais monolíticas e sóbrias, um modelo categorizado largamente como brutalista.

Já nos EUA, a explosão econômica e o novo american way of life acabou abarrotando as metrópoles, fazendo com que as pessoas acabassem se aglomerando onde podiam; galpões e outras áreas acabaram sendo customizados em lofts, com ambientação mais rudimentar, porém que logo foram ganhando muita identidade e originalidade, virando inclusive item muito buscado pela cultura Yuppie.

Sala de reunião com estilo Yuppie e diversos itens com estilo industrial como decoração

O design industrial se foca no uso de formas replicáveis em escala, com peças mais sólidas, com materiais reaproveitados, formas mais sóbrias. A maneira como o estilo industrial de decoração apropriou tudo isso tem uma postura conceitual bem forte.

Isso se dá tanto em relação ao boom urbano quanto à destruição do pós-guerra, onde as famílias tinham pressa de ir para as novas casas, sem poder esperar por pintura, reboco e afins, vivendo em casas com um aspecto por-fazer.

Na decoração, o estilo industrial tenta captar todos esses fragmentos de história, de ambos os lados do Atlântico e criar uma forma inovadora de se morar.

A decoração industrial é perfeita em ambientes integrados, dos quais o espaço é limitado para adicionar muitas peças, mas exige mais que o minimalismo, como apartamentos, casas mais verticalizadas, kitnets e, claro, lofts. Uma parte importante da decoração está na própria estrutura da casa, em aspectos como:

  • Reutilização de madeira;
  • Peças metálicas sólidas;
  • Uso de pallets;
  • Itens decorativos e funcionais feitos a à mão, com materiais sintéticos, mas de maneira rudimentar;
  • Piso em cimento cru;
  • Espaços amplos e funcionais;
  • Encanamentos, tijolos e tubos à mostra;
  • Itens de iluminação saturados;
  • Linhas sóbrias, retas e longas;
  • Cores cruas, terrosas, neutras;
    Janelas e portas largas;
  • Integração dos espaços;
    Grafittes;
  • Simulação de artificialidade, mas com itens “gastos” e “destruídos”.

Existem diversas formas de organizar estes elementos e criar uma decoração bastante original sem precisar gastar muito ou radicalizar seu ambiente.

Estante de parede central com tubulações no teto expostas e luminárias industriais no teto

Uma forma prática e funcional de customizar seu espaço dentro do estilo industrial é através da iluminação. Basta imaginar como ambientes industriais de verdade possuem uma variedade massiva de focos de luz móveis, geralmente com tons frios ou excessivamente quentes.

Materiais metálicos e mais crus ou com tons sólidos e mais neutrais também têm um grande poder para transformar o aspecto do ambiente. Muitas vezes a sobriedade significa mais que o volume, especialmente em decorações como estas, no estilo industrial.

Dicas luminotécnicas para decoração no estilo industrial

Pensando na ideia de expor as estruturas mais internas de uma casa e abusar nos focos de luz, trilhos de luz expostos, especialmente em cores sólidas destoantes, como um trilho preto em uma sala branca, causaria um contraste muito condizente com o estilo.

Várias mesas enfileiradas em um restaurante de paredes quebradas e luminárias industriais

Se os focos de luz forem móveis, tudo fica ainda mais interessante, sendo possível saturar ou diminuir drasticamente a iluminação de acordo com o humor e situação do ambiente.Você pode usar variados focos de luz sem para isso ter uma saturação real.

Além dos trilhos, muitos pendentes têm peças sólidas e ângulos pouco ortodoxos, sendo alguns dos exemplos mais clássicos do estilo industrial.

Um outro item que encarna perfeitamente o conceito são as antigas lâmpadas incandescentes, em tubo, bulbo ou pera, que tiveram seu design simulado com estruturas muito mais econômicas, dinâmicas e não-térmicas, como as lâmpadas de filamento de carbono e LEDs.

Quando instaladas em armações mais cruas, como pendentes aramados, com cores mais sólidas ou com aspecto destruído, sintetizam ainda mais o conceito industrial.

Com algumas mudanças-chave, é possível transformar e tematizar um ambiente, favorecendo suas melhores propriedades. Ambientes integrados, pequenos e até em prédios mais antigos podem ganhar muito em relação à decoração se favorecendo de certos aspectos.

Agende com Henri Lustres uma consultoria técnica, conheça nossos produtos e customize sua própria estrutura luminotécnica para enriquecer a decoração de seu ambiente!

Deixe um Comentário