Iluminação sem gesso: 7 dicas luminotécnicas

Iluminação sem gesso: 7 dicas luminotécnicas

Imagine o seguinte quadro: você não conseguiu colocar forro de gesso na sua casa e agora não tem ideia do que fazer com a iluminação. Afinal, como esconder os fios e deixar o décor mais clean? Deixe que a gente te ajuda!

Você já deve estar cansado de ouvir aquela frase clichê de que “toda escolha é uma renúncia”, e com a decoração não poderia ser diferente. Apesar do baixo custo dos forros sem gesso e sua proposta estética inovadora, as possibilidades de iluminação acabam sendo menores, embora possíveis!

Sim! É possível mexer na iluminação de sua casa sem que para isso você tenha um forro tradicional. Ou seja, felizmente, há propostas luminotécnicas para controlar a luz do ambiente utilizando apenas a laje.

Quer saber um pouco mais? Então, não deixe de acompanhar o post de hoje!

7 propostas para iluminar sem gesso

A gente já sabe que o forro de gesso propicia a disposição de iluminações mais convidativas e aconchegantes, até mesmo porque fica muito fácil dispor spots de luz por todo o revestimento. Mas também sabemos que o gesso nem sempre é a opção mais barata do mercado e a mais fácil de aplicar, o que leva muitas pessoas a se virarem com as lajes.

Portanto, é sempre bom conhecer os tipos de luminárias ideais para aplicação em ambientes sem forro para conseguir criar um boa luminosidade, bem como uma decoração mais elegante e confortável.

Então, que tal conferir as dicas de iluminação sem forro que separamos para você?

Plastichumbo

Para aqueles ambientes nos quais o pé direito é baixo e a iluminação fica comprometida, uma dica interessante para a iluminação é a escariação do reboco da laje para fazer a ligação elétrica com o plastichumbo, que distribui a energia de um ponto da laje para demais pontos com grandes potenciais de iluminação.

Cozinha americana com iluminação suspensa com Plastichumbo

O plastichumbo pode ser uma proposta interessante para ambientes sem forro, uma vez que o fio dispensa conduíte ao ser embutido, além de ser ideal para projetos cuja fiação tem que ficar exposta.

Fita eletrificada

Agora, se você não quer utilizar o plastichumbo, mas ainda precisa resolver o problema da luminosidade de um ambiente sem forro, a fita eletrificada pode ser a salvação dos seus problemas.

Diversas lâmpadas suspensas em trilhos eletrificados

A fita eletrificada é uma fita adesiva condutora de eletricidade, que pode ser aplicada diretamente no reboco a fim de fazer a ligação de um ponto a outro, aumentando os pontos elétricos de sua casa. E o interessante é que a eletrofita não precisa ficar aparente, após a sua aplicação é só passar a massa corrida e a tintura na extensão da fita para cobri-la.

Arandelas

Se você é um leitor assíduo do nosso blog, já sabe que as arandelas são ótimas alternativas de decoração, visto que são fáceis de instalar, possuem uma luz difusa e, sobretudo, podem ser encontradas em vários designs: industrial, minimalista, clássico e moderno.

Arandela na parede da sala de estar

O que faz as arandelas perfilarem como possibilidades luminotécnicas para ambientes sem forro é o fato de poderem ser instaladas diretamente na parede, o que lhe permite maior amplitude de instalação.

Mas, como nunca é demais dizer, as arandelas possuem uma luz indireta, portanto, são mais recomendadas como iluminação secundária, servindo de complemento para a iluminação primária.

Trilhos eletrificados

Os trilhos eletrificados são ótimos para luz focada e luz difusa, a depender de quantos circuitos possuem. Já existem no mercado trilhos de três circuitos que podem ser utilizados para compor 3 cenas de iluminação, possibilitando maior difusão da luz.

Essas propostas de iluminação são práticas e funcionais, uma vez que integram o sistema de clicagem no qual a luminária – flexível e móvel – é instalada, propiciando vários focos de luz. Sem falar ainda que os trilhos são super atuais e descolados, dando um melhor acabamento na decoração.

Iluminação de sobrepor

Existem no mercado dois tipos básicos de iluminação, a saber: a iluminação de embutir, própria para forros de gesso, e a iluminação de sobrepor, que fica por fora da laje, uma vez que esta estrutura não se pode quebrar, cortar e mover.

Escritório de trabalho com iluminação sem gesso

Por isso, se você conta com espaços sem forro, use e abuse das iluminações de sobrepor. Elas podem melhor otimizar a luz dos ambientes, deixando-os não só clarificados, mas confortáveis. Uma das iluminações de sobrepor mais difundidas nos projetos arquitetônicos são os plafons.

Plafons de LED entregam luz difusa, deixando o ambiente iluminado por inteiro,  e possuem um baixo custo de energia. Atualmente, já podem ser encontrados em diversos tamanhos e formatos, mas seu designs mais recorrentes são arredondados e quadrados, posto a sua compactabilidade e alta capacidade de controle de luz. Veja também sobre sanca invertida aberta.

Luminárias de mesa

Apesar de entregarem uma luz mais direcionada e pontual, as luminárias de mesa são ótimas para se colocar em um escritório ou ambiente de estudos para trazer uma iluminação secundária. Seus atrativos podem ser resumidos na facilidade de transporte, compactabilidade e, sobretudo, a variedade de designs que o mercado oferece.

Luminárias suspensas em cima da mesa da sala

Luminárias de chão

Agora, se quer ficar por dentro das últimas tendências do décor das luminárias e trazer uma maior otimização da luz de ambientes sem forro, aposte em luminárias de chão. Além de serem propostas elegantes e modernas, estas luminárias são fáceis de transportar e são extremamente versáteis, podendo ser suportes de luz para qualquer ambiente que você desejar.

Luminárias de chão ao lado do sofá na sala de estar

Assim como as luminárias de mesa, você pode utilizar as luminárias de chão perto de sua cama, em ambientes de estudo, no escritório de trabalho e até na sala de estar, visto que entregam uma iluminação mais aconchegante e confortável.

Ufa, agora você já pode projetar a iluminação de sua laje sem grandes sofrimentos. Mas, diz pra gente aí nos comentários, gostou do post de hoje?

Se quer mais dicas de iluminação como essas, não deixe de conferir o blog Henrilustres. Aqui postamos conteúdos semanalmente sobre a arte da iluminação.

Até mais!

Deixe um Comentário