Luz fria, quente e neutra: temperatura de cor

Luz fria, quente e neutra: temperatura de cor

Muitas vezes, por mais que não percebamos, conseguimos sentir a influência da iluminação de um lugar; como o aspecto aconchegante de alguns restaurantes, ou como um consultório de dentista nos parece limpo. Nada disso é por acaso. A iluminação tem esse poder de mexer com a nossa percepção dos espaços e, por mais sutil que possa parecer, é justamente por isso que consegue causar tantos efeitos variados nos ambientes e se torna tão importante nos projetos. A temperatura de cor da luz é responsável por toda essa técnica que iremos discutir nesta postagem.

A influência da temperatura de cor em nossa percepção

Por mais que pareça que sempre esteve aqui, a luz elétrica é uma invenção consideravelmente recente, e o ser humano ainda é uma criatura bastante sensível aos ciclos da natureza.

Lâmpadas redondas com luzes neutras e mudando a percepção do ambiente

Se pararmos para imaginar que até menos de 70 anos atrás a grande maioria das pessoas vivia sem luz elétrica, fica mais fácil pensar como a luz natural sempre fez toda a diferença na rotina humana. E ainda faz! E uma das principais maneiras é em como a incidência da luz afeta como nossos corpos trabalham.

A produção hormonal do corpo se baseia uma parte pela luz solar. Quando expostos à luz mais quente, como do crepúsculo, a tendência é que comecemos a nos sentir mais relaxados, sonolentos, com fome, prontos para dormir. Isso porque a produção de melatonina, principal hormônio responsável pelo sono, é ativada pela informação que o corpo tem de que está anoitecendo, do mesmo jeito que, sob uma luz mais potente, também ficamos mais ativos e concentrados, este ciclo baseado especialmente na incidência da luz é chamado ritmo circadiano, e com os avanços da luminotécnica é possível simular estes efeitos, em certo nível, o que ajuda bastante na composição, tanto decorativa quanto prática dos ambientes.

Como funciona a temperatura de cor na prática

Apesar do que o nome indica, a temperatura física da luz não varia de acordo com sua cor. Ao menos não mais nas novas tecnologias, como lâmpadas de LED, que são as mais comuns.

Como funciona as luzes na pratica e como aplicar

Na verdade, a ideia de temperatura e cor é baseada em um conceito bastante curioso: a escala da temperatura de luz é medida através de graus Kelvin, que é uma terceira medida, muito popular para temperaturas bastante altas.

E no caso da temperatura de luz, a escala imagina uma peça de aço aquecida, quanto maior a temperatura, mais profundamente branca fica a peça, até adquirir tons azulados.

Para entender a base de conversão, 1º Celsius é igual a 273,15o Kelvin, e a escala da temperatura das cores funciona da seguinte forma:

  • Entre 2600 K e 3500 K, Luz quente, amarelada
  • Entre 4000 K e 5500 K, luz neutra, branca
  • A partir de 6000 K a luz adquire tons mais azulados e frios.

 Apesar de não haver um aquecimento físico, temos a sensação psicológica em nossos corpos, e isso faz bastante diferença na forma como reagimos. Entenda também o que é bivolt.

 A luz quente

Como simula o tom de luz do final do dia, ela costuma possuir um efeito mais relaxante, que estimula a produção de melatonina, motivo pelo qual é muito comum ser empregada nos quartos, para ajudar no relaxamento das pessoas.

Lâmpada com coloração quente

Mas também é muito usada em restaurantes, já que o relaxamento do corpo também estimula nossa sensação de prazer quando comemos, descansamos e fazemos outras atividades recreativas.

A luz neutra

Uma luz de tons brancos, bastante comum nos ambientes de casa, e que costuma ser bastante usada para diferentes fins:

Lustre branco com lâmpadas de cores neutras pendurado no teto

Como não interfere na coloração das coisas e ajuda a aumentar o destaque em áreas, é a iluminação mais empregada para indicações e destaques em luz, como em museus, vitrines de loja, além de também ser empregada em ambientes hospitalares, consultórios, salões de beleza, cozinhas e banheiros.

Todo tipo de lugar onde seja necessário manter um aspecto limpo, sem interferência nas cores e bem marcado para se trabalhar.

A luz fria

Já a luz fria estimula bastante o foco e a intensidade. Um bom exemplo disso são as luzes de eletrônicos como computadores e smartphones, que possui um tom bastante azulado, que ajuda a manter a atenção dos usuários por horas sem sentir um grande cansaço.

Luminárias com luzes frias penduradas no teto

Não é à toa que esse tipo é empregado em situações onde a concentração é fundamental, como em linhas de montagem de fábricas, galpões, escritórios, salas de cirurgia, guaritas e afins.

Temperaturas de cor pela casa

Para ter o melhor aproveitamento de cada tipo de temperatura, você pode variar na intensidade de acordo com o cômodo;

  • Halls de entrada  e garagens costumam ter uma luz mais destacada, assim como na cozinha, na área da pia, onde o trabalho costuma ser maior. O banheiro, ao menos a parte sobre a pia e o espelho são bastante bem aproveitadas com esse tipo de luz, para a maquiagem e higiene pessoal.
  • Já áreas de recreação ficam muito mais prazerosas com uma luz aconchegante, como os tons amarelados e quentes, você pode usar um pendente sobre a mesa de jantar para simular a influência que comentamos ser comum nos restaurantes, assim como pode usar esse tom na sala e nos quartos, já que a luz fria da TV e dos dispositivos já dá conta de mantê-lo desperto enquanto assistindo algo.
  • Mas caso queira dar um tom mais impessoal à sala, vale apostar em tons mais frios, especialmente se ela for bastante usada como ambiente de leitura, conversa, jogos e afins. Seu espaço de leitura, assim como o escritório ficarão muito mais produtivos com o emprego de luzes azuladas.

Se tiver um espaço para malhar ou até mesmo se usar bastante a área de serviços, não é má ideia aplicar uma luz mais energizante para favorecer a concentração no trabalho. Entenda também o que é plafon.

Você pode associar diferentes tipos de iluminação em seus ambientes, para variar de acordo com a necessidade, como múltiplas instalações de spots de LED com diferentes tonalidades em escritórios e nas salas, por exemplo.

No blog da Henri Lustres você conhece mais sobre o mundo da luminotécnica, trazemos dicas, produtos, curiosidades e lançamentos todas as semanas, basta assinar nossa newsletter para receber tudo em primeira mão e, para conferir os melhores artigos exclusivos de iluminação, acesse nossa loja, você também pode customizar seus próprios projetos junto da equipe, basta entrar em contato conosco! 

Deixe um Comentário