Poluição luminosa: o que é? Por que acontece? Entenda!

Poluição luminosa: o que é? Por que acontece? Entenda!

A poluição luminosa nada mais é do que o excesso de iluminação proveniente de luzes artificiais, ultrapassando a irradiação da sua área com um alto nível de intensidade. Quando esse fenômeno acontece, o céu fica muito mais brilhoso, o que atrapalha na visibilidade da lua e das estrelas. Além disso, esse tipo de poluição também pode ser prejudicial para a nossa saúde, interferindo em nossa visão e atrapalhando os nossos ciclos de sono durante a noite.

Para que você conheça um pouco mais sobre o assunto, contaremos mais sobre o fenômeno, suas características e os problemas causados para a população e para o meio ambiente. Acompanhe o post para saber mais!

A poluição luminosa e suas categorias

poluição luminosa na atmosfera

A poluição luminosa é um dos grandes impasses da observação astronômica, pois impede que os astros sejam vistos em sua plenitude e, às vezes, nem mesmo são encontrados. Dessa forma, o Laboratório Nacional de Astrofísica estudou mais a fundo esse tipo de poluição e a dividiu em 3 categorias.

Como dissemos, um dos principais problemas causada pela poluição luminosa no cenário da astronomia é o aumento do brilho no céu à noite, pois essa quantidade de luz inviabiliza a visibilidade dos astros. Isso sem falar que a aplicação de um projeto de iluminação de maneira inadequada pode causar desconforto à população, visto que as luzes externas invadem as residências durante a noite, violando as propriedades dos moradores e causando um ofuscamento prejudicial à visão humana. Confira abaixo as três categorias da poluição luminosa.

Brilho do céu (Sky Glow)

Esse fenômeno provém da luminância difusa do céu noturno, isto é, trata-se do efeito provocado pelas luzes artificiais direcionadas para o alto que causam a cor alaranjada no céu durante a noite.

Esse tipo de poluição é provocado pela luz artificial pode ter alcance de quilômetros, principalmente nas grandes metrópoles, onde a quantidade de luzes é significativamente maior. De acordo com a International Dark Sky Association de Los Angeles, o brilho provindo de locais com grande concentração de iluminação pode ser visto em uma distância de até 300km. É por esse motivo que as grandes cidades são vistas tão iluminadas de cima quando estamos as sobrevoando.

Além disso, em locais com maior concentração de poluição atmosférica, o efeito do excesso de iluminação artificial é ainda pior e a cor alaranjada do céu é ainda mais intensa, principalmente por conta do uso de lâmpadas de sódio e de mercúrio.

Luz intrusa

A luz intrusa nada mais é que a iluminação de um ambiente que invade outros ambientes. Esse tipo de falha ocorre com frequência no Brasil, quando as luzes da iluminação pública invadem as residências não permitindo que um ambiente da moradia fique escuro por completo. Também pode acontecer quando o projeto de iluminação de uma residência invade a propriedade do seu vizinho, por exemplo.

Ofuscamento (Glare)

Com certeza, você já passou por uma situação de ofuscamento. Esse tipo de fenômeno acontece quando há um excesso de luz que reflete na horizontal e que causa desconforto na visão, levando até uma cegueira momentânea. Isso ocorre, por exemplo, quando um automóvel liga os faróis altos na autoestrada à noite, ofuscando a visão dos motoristas que vierem na direção contrária.

Alguns tipos de lâmpadas e refletores de projetos de iluminação de grande porte também podem causar esse tipo de poluição luminosa.

Impacto da poluição luminosa na saúde e no meio ambiente

cidade com poluição luminosa em prédios e ruas

O excesso de iluminação, além de gerar conforto na visão e impedir que apreciemos a beleza dos astros no céu noturno, também gera um gasto desnecessário de recursos naturais.

Nos Estados Unidos, por exemplo, a iluminação das grandes cidades é responsável pelo desperdício de até 2 milhões de barris de petróleo por dia. Las Vegas é uma das cidades que mais gera esse tipo de desperdício por conta dos inúmeros hotéis e cassinos enormes, todos excessivamente iluminados, que são as principais atrações turísticas do país. Nova Iorque também é uma cidade que se destaca pela quantidade de luzes e pelo gasto de recursos naturais.

Além dos gasto com petróleo, outra problema vindo da poluição luminosa é a fabricação de lâmpadas artificiais em larga escala, principalmente se considerarmos o descarte das lâmpadas queimadas no meio ambiente, que contém elementos prejudiciais para a natureza e para nossa saúde, como é o caso do mercúrio e chumbo.

O excesso de iluminação noturna também interfere nos ciclos fisiológicos e comportamentais das pessoas, alterando os comportamentos de sono, interferindo em nossa produção de hormônios e, consequentemente, em nosso sistema cardiovascular, podendo nos fazer sentir mais cansaço durante o dia.

Como contribuir com a redução de poluição luminosa?

Apesar de não ser amplamente debatido nas mídias, a poluição luminosa é sim problema que precisa de atitudes de todos para que seja amenizado e as consequências para o planeta sejam controladas. Veja abaixo algumas atitudes que você pode fazer para contribuir com a redução da iluminação excessiva:

Acenda somente as luzes necessárias

Sem dúvidas, essa é uma dica que você deve ter escutado antes, provavelmente mais de uma vez, mas mesmo assim ainda tem pessoas que deixam todas as luzes da casa acesas ao mesmo tempo. Além de um gasto excessivo na conta de energia, as lâmpadas da área externa da sua casa podem invadir a casa dos seus vizinhos, causando o efeito de luz intrusa.

O recomendado é que você use as luzes somente do ambiente que estiver utilizando, assim, você economiza e contribui com a preservação do meio ambiente.

Use cortinas blackout

Outra atitude que você pode ter para que a luz não cause a poluição luminosa é as cortinas do tipo blackout para impedir que a iluminação da sua residência ultrapasse a área que você quer iluminar e vaze para a área externa ou para a moradia dos seus vizinhos.

Busque por alternativas para substituir as luzes artificiais

Diante de tantos problemas ambientais preocupantes, é importante sempre pensar em alternativas para reduzir o uso excessivo de iluminação artificial. A iluminação natural ainda é a mais eficiente e econômica, sobretudo pelo custo zero, mas é claro que pode ser aproveitada de dia.

Um jantar à luz de vela, sem dúvidas, é muito romântico, mas não iremos fazer um evento como esse todos os dias, não é mesmo?

Uma alternativa mais econômica e eficiente são os projetos de iluminação com lâmpadas de LED. Esse tipo de lâmpada usa semicondutores mais eficazes para emitir luz, por isso, utiliza muito menos energia do que as lâmpadas convencionais de luz artificial. É uma opção atrativa que gera economia e oferece uma iluminação agradável para o período noturno.

E aí, gostou do nosso post? Está preparado para começar a contribuir para a redução de poluição luminosa? E se precisar de lâmpadas e acessórios para montar um projeto de iluminação mais econômico e eficaz para sua residência, conte com a Henrilustres. Fale com a nossa equipe, estamos sempre prontos para te atender!

Deixe um Comentário